Conhecendo o curso de Gestão Hospitalar

enfermeira analisando sistema em computador

Desconto nota do Enem

Se você já pensou em seguir carreira na área de saúde, mas não se identifica com profissões como Medicina, Enfermagem e Nutrição, talvez sua vocação aponte mais para o curso de Gestão Hospitalar. 

Essa graduação, que envolve o contato direto com o funcionamento da saúde e indireto com pacientes e suas questões diárias, foi pensada justamente para pessoas que gostam de trabalhar com otimização e busca de soluções.

O cenário da saúde no Brasil – e no mundo – apresenta uma série de dificuldades. Questões como distribuição de recursos, compra e manutenção de ferramentas de trabalho, capacitação, contratação e gestão de profissionais de saúde, por exemplo, são peças-chave para o funcionamento de um hospital.

Além disso, essa profissão é essencial para a tomada de decisões embasadas. O profissional de Gestão Hospitalar pode propor soluções logísticas e tecnológicas que tenham valor prático na organização em que trabalham. Ou seja, são profissionais que podem complementar equipes de hospitais, clínicas, laboratórios, setor privado, SUS, órgãos de fiscalização e auditoria em saúde, entre outros. 

Se essas possibilidades parecem uma carreira ideal para você, continue lendo para entender melhor quais são os pré-requisitos, os critérios de conclusão e a matriz curricular do curso de Gestão Hospitalar.

Como é a graduação de Gestão Hospitalar?

O curso de Gestão Hospitalar é uma modalidade de formação com duplo foco: entender as boas práticas de gestão e o mercado dinâmico de saúde. Com essa proposta em mente, a matriz curricular deve fornecer aos alunos as ferramentas necessárias para a melhoria dos sistemas e processos na Saúde. 

A proposta das instituições de ensino, ao ofertar esse curso de graduação, é formar profissionais críticos, capazes de reflexão, proativos, humanizados e adaptáveis, que saibam atuar no contexto social de suas comunidades e reflitam, frente aos desafios, o compromisso com os interesses e as prioridades sociais atuais.

O aluno formado no curso de Gestão Hospitalar deve, portanto, ter em mente sempre a forma mais adequada de organizar os sistemas com o objetivo de oferecer uma experiência mais segura, humanizada e eficiente para agentes de saúde e pacientes.

Por ter uma vertente prática, ele inclui na matriz curricular conteúdos e disciplinas vinculadas à realidade do ecossistema da saúde no Brasil. Depois de concluir as disciplinas, o aluno está qualificado para:

  • Usar criatividade e empreendedorismo para resolver problemas sociais, considerando o contexto das comunidades;
  • Implementar tecnologias para melhorar o acesso e uso dos sistemas de saúde;
  • Quebrar barreiras socioeconômicas que afastam comunidades de centros de saúde;
  • Buscar recursos e ferramentas para facilitar processos diários em hospitais;
  • Liderar equipes para melhorar o atendimento;
  • Gerenciar informações em saúde para garantir segurança e privacidade;
  • Estabelecer planos estratégicos de crescimento sustentáveis;
  • Gerir equipamentos e compras em hospitais;
  • Planejar orçamento e analisar custo-benefício;
  • Comunicar decisões eficazmente dentro da organização;
  • Supervisionar contratos e convênios;
  • Controlar a qualidade de serviços e segurança;
  • Auditar periodicamente para garantir uma gestão transparente.

Quais os tipos de graduação em Gestão Hospitalar

De acordo com o MEC, as instituições de ensino superior podem oferecer três tipos de graduação, cada uma apresentando características específicas. Essas variações incluem o foco da formação profissional, a metodologia de ensino, a proposta pedagógica e os requisitos exigidos pela universidade. É essencial compreender essas diferenças para escolher o curso que melhor atenda às expectativas e necessidades do aluno.

Também é importante saber que nem todos os cursos estão disponíveis nas três modalidades, como é o caso da graduação em Gestão Hospitalar.

Bacharelado

A Gestão Hospitalar não se aplica ao bacharelado. Esse modelo de graduação tem duração mais longa, de oito a dez semestres, conferindo tanto embasamento teórico quanto prático para os alunos.

Esse compromisso mais longo geralmente inclui um ciclo básico para contextualizar as disciplinas aplicadas. Como a Gestão Hospitalar é um curso que busca inserção ou recolocação na profissão, não está alinhada com essa proposta.

alunos estudando curso de saúde
 Entenda a graduação em Gestão Hospitalar e seus benefícios para o mercado de saúde.

Licenciatura

Já a licenciatura é uma modalidade de graduação focada na formação de docentes do Ensino Básico. Envolve disciplinas como Psicologia da Educação e Didática, que auxiliam o egresso do curso de licenciatura a trocar conhecimentos em sala de aula.

Novamente não se aplica ao curso de Gestão Hospitalar, já que essa profissão não envolve ensino estruturado, mas sim aos desafios práticos do ambiente profissional.

O curso superior em tecnologia, ou curso tecnólogo, é o formato ideal para o curso de Gestão Hospitalar. Mais curto, pode ser terminado em três anos, desde que sejam cumpridos os objetivos disciplinares. 

Apesar de contar com disciplinas teóricas para embasar a prática, o foco é principalmente na aplicação de conhecimentos. Por isso, as temáticas desse modelo de curso já estão ligadas ao setor hospitalar, como Gestão de Equipes em Hospitais e Planejamento Orçamentário Hospitalar.

Com isso, os alunos já começam seus estudos com um olhar voltado para o setor em que pretendem atuar. Essa modalidade é popular entre alunos que já tem seus interesses pessoais definidos ou profissionais que estejam buscando um avanço na carreira com formação mais focada em cargos de gestão.

A faculdade de Gestão Hospitalar é boa?

A faculdade de Gestão Hospitalar é uma opção bastante completa voltada para a inserção no mercado. Apesar de incluir disciplinas tanto do âmbito de Administração e áreas relacionadas (Direito, Economia e Matemática), considerando sua aplicação no contexto profissional, esse não é um curso generalista.

Pelo contrário, assim como grande parte dos cursos superiores de tecnologia, sua concepção tem como enfoque o nicho específico da saúde. Isso ocorre porque, apesar de grande parte das responsabilidades de gestão em ambientes hospitalares serem realizadas por profissionais de administração ou de saúde, o ideal seria que a formação universitária já incluísse esses conhecimentos.

Existem dois cenários possíveis: se os profissionais de saúde têm responsabilidades de coordenação, eles não têm a vivência de tomada de decisões. Por outro lado, gestores treinados em outros setores não necessariamente sabem adaptar seu conhecimento para a realidade diária de instituições de saúde. Essas situações podem levar a problemas como falta de humanização nos centros de saúde, má gestão de recursos financeiros e relações desgastadas entre agentes de saúde.

Ou seja, o curso tecnólogo de Gestão Hospitalar funciona como uma ponte entre esses dois conceitos e gera alunos mais preparados para os desafios relacionados a ele.

mulher mostrando dados a médico em tablet
Descubra sua vocação em Gestão Hospitalar! Carreira que une saúde e administração.

O curso de Gestão Hospitalar é aprovado pelo MEC?

Sim, existe regulamentação do MEC em relação ao curso superior de tecnologia em Gestão Hospitalar. O órgão analisa o cumprimento das instituições de ensino das diretrizes educacionais, além de avaliar se estão cumprindo com as necessidades de conteúdo para a prática profissional.

Para escolher em qual faculdade realizar o curso, é fundamental pesquisar as opções disponíveis na classificação do eMEC. Essa ferramenta de pesquisa, disponibilizada online pelo órgão, facilita a visualização de opções, mostrando as notas obtidas pelas avaliações do curso, como o Enade, tornando a comparação mais simples.

Nela, é possível filtrar tanto por modalidade (presencial ou EAD), quanto pela cidade em que o aluno está. Ou seja, para garantir que o curso escolhido seja o correto, antes de fazer a matrícula, é preciso saber se ele cumpre os acordos educacionais.

Qual é a visão do mercado sobre o curso de Gestão Hospitalar?

A área de Gestão Hospitalar atrai, a cada ano, um número crescente de profissionais interessados em atuar na administração de instituições de saúde. Esse segmento é bastante necessário, levando em consideração o crescimento do setor da saúde em si. 

O gestor hospitalar é um profissional essencial para o funcionamento eficiente dos serviços de saúde no dia-a-dia, trabalkhando na administração de hospitais, clínicas, laboratórios e outras organizações de saúde.

Atualmente, muitos profissionais de Gestão Hospitalar encontram oportunidades tanto no setor público quanto no privado. No setor público, eles são fundamentais para a administração de hospitais e unidades de saúde em caráter nacional e local. São os profissionais responsáveis por garantir a eficiência e a qualidade dos serviços prestados à população, tendo contato direto com setores como serviço social. 

Já no mercado do setor privado, além dos hospitais e instituições em si, existe demanda por profissionais com habilidades em gestão para atuar em  iniciativas de filantropia, empresas de saúde, seguradoras e organizações socioculturais. 

Além disso, gestores hospitalares podem atuar na implantação e análise da viabilidade de projetos, prestando consultorias e auditoria de empresas existentes. 

Ou seja, o mercado de trabalho para gestores hospitalares é amplo e diversificado, com oportunidades em várias áreas relacionadas à saúde e gestão. 

A capacidade de gerenciar recursos, otimizar fluxos de trabalho, implementar políticas de saúde e garantir a qualidade dos serviços oferecidos são competências essenciais para qualquer cargo de gestão.

Porém, a formação em administração não contempla em caráter específico os sistemas de saúde. Para esses desafios, o mercado busca justamente os profissionais que atuem na junção das temáticas. Um curso como o tecnólogo de Gestão Hospitalar, que ensina na prática de saúde os conceitos de administração, é a opção correta para quem busca crescer na área.

equipe de gestor e médicos em reunião
Conheça o curso de Gestão Hospitalar e veja como otimizar processos na área da saúde.

Qual o perfil ideal de aluno para o curso de Gestão Hospitalar?

Para entender melhor se o curso de Gestão Hospitalar é uma boa opção, é importante comparar sua vivência e habilidades pessoais com o perfil de aluno que se destaca na área.

Apesar disso, existe espaço para o desenvolvimento profissional. Durante a graduação, o aluno entra em contato com as ferramentas necessárias para exercer a profissão, além de ter espaço para desenvolver habilidades pessoais e interpessoais que beneficiem sua trajetória.

“Trabalhar na área da saúde é um princípio: permite ser útil à sociedade com toda a força e conhecimento que se tem. Este serviço à sociedade deve ser consequência da vocação e do compromisso ao graduar-se.”

Jacinto Convit

Por isso, mesmo que os perfis não estejam perfeitamente alinhados, o curso tecnólogo de Gestão Hospitalar pode ser uma boa opção: é um curso bastante definido, que pode transformar a carreira dos alunos.

Personalidade do aluno da área de Gestão Hospitalar

O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Hospitalar é destinado a pessoas que se interessam por temas vinculados ao bem-estar e às relações de trabalho e cooperação nos ambientes de saúde. 

Apesar de estar firmemente ligada ao contexto de centros de tratamento e diagnóstico, não envolve contatos com pacientes. Em vez disso, é um curso pensado para alunos que gostam de entender como as coisas funcionam nesse ambiente e as melhores formas de otimizá-lo.

Ou seja, é essencial ter interesse na área de saúde para garantir que o aluno tenha a empatia necessária para com todos os agentes do setor, desde profissionais hospitalares, até pacientes e suas famílias. É esse interesse que desperta a vontade de implementar mudanças que facilitem os processos dentro do contexto de saúde, humanizando o atendimento de forma a garantir uma experiência melhor aos envolvidos.

Apesar disso, o aluno também deve ter um perfil além da saúde, focado nas estratégias de gestão em si. Durante a graduação em Gestão Hospitalar, os docentes inserem temáticas como administração de negócios de saúde, matemática financeira, planejamento de fluxo de trabalho, integração entre agentes de saúde, gestão de recursos, planejamento orçamentário e muito mais.

Além de aprender sobre esses temas, existem algumas habilidades fundamentais que devem ser desenvolvidas durante o curso de Gestão Hospitalar para que o aluno possa oferecer seu conhecimento da melhor forma possível.

estudantes de curso de saúde reunidos em sala
Entenda a graduação em Gestão Hospitalar e seus benefícios para o mercado de saúde.

O perfil ideal é alguém com capacidade de reflexão e pensamento crítico. Ou seja, é alguém que não se sente satisfeito com soluções prontas, mas sim busca otimizar e melhorar sempre a funcionalidade dos processos de sua instituição.

Para que essa competência tenha sucesso, porém, é importante desenvolver também a atenção ao detalhe. O cuidado com cada aspecto minucioso é uma das boas práticas mais importantes da Gestão Hospitalar. Isso porque, durante a atuação profissional, é necessário  realizar decisões rápidas e efetivas, que terão impacto direto na experiência de outras pessoas. Para que elas tenham o sucesso desejado e gerem resultados positivos no contexto escolhido, devem ser tomadas com base em experiências anteriores, análise de todas as possibilidades e, claro, cuidado com cada etapa. 

Na prática, o aluno indicado para o curso de Gestão Hospitalar é o aluno cuidadoso, atencioso, detalhista e crítico, tanto de si mesmo quanto dos sistemas existentes. É esse perfil que pode transformar situações complexas e movimentar as melhorias no setor de saúde.

Duração e matérias abordadas no curso

A carga horária da faculdade de Gestão Hospitalar é de 2500 h, divididas em 36 disciplinas obrigatórias e optativas. Também exige 100h de atividades complementares, que podem ser palestras, cursos livres, workshops, atividades voluntárias e até mesmo participação em congressos acadêmicos e profissionais.

Apesar de ter uma carga horária reduzida em relação aos cursos na modalidade bacharelado e licenciatura, o curso superior de tecnologia não exige menos dedicação. Na verdade, por contar com grande quantidade e variedade de disciplinas em um período mais curto, exige atenção especial a cada uma delas.

Como o tecnólogo é um molde de curso mais voltado para a inserção no mercado, ele conta com menos disciplinas introdutórias e teóricas. Ainda assim, no caso de Gestão Hospitalar, lida com temáticas complexas, como Governança Hospitalar, Logística em Hospitais, Economia Empresarial, Tecnologia Aplicada, Gestão de Pessoas e Legislação ligada à Saúde, Estatística e Contabilidade.

Nesse sentido, a rotina de estudos deve focar em dois aspectos importantes: o aprofundamento em temas densos e a atualização constante nas tendências e mudanças do setor. 

Confira também: no Papo Reto, descubra as funções de um enfermeiro!

Play videoPlay video

Em relação aos temas mais densos, como Legislação e Economia, o aluno deve entender conceitos gerais para contextualizar sua atuação. Mas deve estudar mais a fundo como esses conceitos se aplicam ao universo da saúde. Por exemplo, as mudanças econômicas impactam as contratações em hospitais, mas como essas mudanças afetam o atendimento? A legislação exige atualização dos funcionários em relação às práticas de segurança, mas como a instituição pode garantir essa periodicidade? Essas e outras questões são importantes para a atuação profissional e são levadas em conta no decorrer da graduação em Gestão Hospitalar.

Rotina de estudos para quem faz Gestão Hospitalar

O aluno também deve se manter atualizado nas mudanças do setor: novas ferramentas de gestão disponíveis no mercado, aplicações inovadoras de tecnologia e até mesmo percepção social em relação à saúde vão fazer parte de sua trajetória profissional. Por isso, devem estar presentes na rotina de estudos. 

As atividades complementares são uma forma de buscar essa atualização. O aluno deve realizar essas atividades ao longo de sua formação, criando o hábito de participar de espaços de troca profissional mesmo antes de concluir o curso. Assim, fica mais preparado para os desafios do mercado.

A oferta de disciplinas optativas também é uma parte essencial dos estudos de Gestão Hospitalar. A disponibilidade de aulas depende da instituição de ensino e dos cursos relacionados que ela oferece. De forma geral, vale a pena investir em disciplinas que complementam as obrigatórias e oferecem diferenciais para o currículo.

No caso da graduação em Gestão Hospitalar, o aluno pode, por exemplo, realizar optativas na área de saúde, como no curso de Biomedicina, para entender melhor o funcionamento dos processos médicos e laboratoriais.

moça em laboratório fazendo experimento
 Forme-se em Gestão Hospitalar para tomar decisões estratégicas na saúde.

Quais as modalidades de curso de Gestão Hospitalar?

A escolha pela modalidade de estudos depende da preferência de cada aluno e a adequação à sua rotina. 

Dá para fazer Gestão Hospitalar EAD?

Sim, o curso de Gestão Hospitalar é oferecido na modalidade EAD, com aulas ao vivo e gravadas, materiais complementares, atividades avaliativas e plataformas de interação entre alunos e docentes.

O curso EAD tem como vantagem sua flexibilidade,ou seja, o aluno pode adequar os estudos aos horários de sua preferência, conforme outros compromissos. Essa opção é bastante popular entre pessoas que trabalham em período integral.

Por outro lado, não inclui o acesso à infraestrutura da instituição de ensino nem interações pessoais com docentes, o que pode dificultar na hora de participar de projetos, buscar orientação ou aprofundar seus estudos.

Existe Gestão Hospitalar Presencial?

O curso de Gestão Hospitalar também existe na versão presencial em determinadas faculdades. Nesses moldes, o aluno assiste aulas em horários definidos previamente, utilizando a infraestrutura da IES. 

Por outro lado, o deslocamento até o polo educacional pode ser uma barreira para alunos com rotinas corridas ou que estejam mais distantes da sala de aula. 

Posso fazer Gestão Hospitalar no sistema Semipresencial?

Pode! O curso de Gestão Hospitalar existe também no sistema Semipresencial, que mescla as principais vantagens dos dois modelos anteriores. As aulas, principalmente as teóricas, são realizadas em módulos online, com encontros periódicos para atividades de colaboração em sala de aula.

Com isso, o aluno consegue encaixar esses encontros em sua agenda e se beneficia do contato mais próximo de outros futuros profissionais e docentes experientes no segmento.

Tour pela prova do Enem

Qual a duração e as matérias do curso de Gestão Hospitalar?

Um curso tecnólogo de Gestão Hospitalar é otimizado para a inserção no mercado de trabalho, contando com disciplinas relacionadas à gestão de forma aplicada. Também engloba aulas sobre os desafios das instituições de saúde e a importância das boas práticas com recursos, equipamentos, pacientes e equipes. 

Essas disciplinas são divididas de forma equilibrada em oito semestres, nos quais os alunos mesclam atividades teóricas e práticas, integrando rapidamente os conhecimentos adquiridos ao contexto da saúde no Brasil

Fazem parte da matriz curricular:

1º semestre

  • Projeto Integrado I
  • Modelos de Gestão
  • Gestão de Projetos
  • Métodos Quantitativos
  • Optativa I

2º semestre

  • Ações Educativas em Segurança do Trabalho
  • Direito Hospitalar
  • Legislação Empresarial Aplicada
  • Optativa II
  • Projeto Integrado II

3º semestre

  • Processo Saúde e Doença
  • Gestão de Pessoas
  • Gestão de Contratos, Terceirização e Licitação
  • Sociedade Brasileira e Cidadania
  • Biossegurança
  • Projeto Integrado III

4º semestre

  • Responsabilidade Social e Ambiental
  • Sistemas de Informação Gerencial
  • Gestão de Planos de Saúde
  • Análise de Custos
  • Contabilidade Introdutória
  • Matemática Financeira
  • Projeto de Extensão I – Gestão Hospitalar
  • Economia para Negócios

5º semestre

  • Gestão de Equipamentos Hospitalares
  • Marketing de Produtos e Serviços
  • Planejamento Financeiro e Orçamentário
  • Processos Logísticos
  • Projeto de Extensão II – Gestão Hospitalar
  • Optativa III

6º semestre

  • Planejamento Estratégico
  • Comportamento Organizacional e Negociação
  • Auditoria e Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde
  • Saúde Pública
  • Projeto de Extensão III – Gestão Hospitalar
  • Optativa IV
mulher mexendo em computador em consultório
Administre com excelência e faça a diferença na saúde! 

Quais as possibilidades de especialização em Gestão Hospitalar?

A área de Gestão Hospitalar oferece diferentes possibilidades de especialização. Elas dão espaço para que os profissionais aprofundem seus conhecimentos em setores específicos do ambiente hospitalar e utilizem competências para enfrentar os desafios desse ambiente. Algumas das especializações mais relevantes são:

Operações

Esse é profissional que trabalha na otimização de fluxos de trabalho, gestão de suprimentos e a logística interna de hospitais. Fica responsável também pela organização e manejo de imprevistos. É uma figura essencial para a eficiência operacional de uma instituição de saúde.

Gestão Financeira

Faz o planejamento e monitoramento orçamentário, análise de custos e análises financeiras. Esses aspectos são cruciais para a continuidade da atuação do hospital. Para se especializar nessa área da Gestão Hospitalar, é necessário focar em pontos como Contabilidade e Gestão de Produtos.

Compliance

A Gestão Hospitalar de Compliance é a especialização que assegura que a instituição esteja em conformidade com leis e regulamentos, um campo em crescimento devido ao impacto do setor de saúde na sociedade.

Sistemas de Informação

Uma especialização que prepara profissionais para implementar e gerenciar sistemas de informação em saúde que melhoram a qualidade do atendimento e a gestão de dados. Nessa área, é importante entender conceitos de cibersegurança, proteção de dados e legislação digital.

Gestão de Pessoas

Uma especialização mais focada nos conceitos de gestão tradicionais, mas que envolve o treinamento e desenvolvimento de funcionários, além de técnicas de liderança adaptadas ao ambiente hospitalar. Exige interesse em RH e habilidades como comunicação clara e atenção ao detalhe.

Infraestrutura

O espaço físico dos hospitais também exige sua especialidade na Gestão Hospitalar, a Infraestrutura. O profissional deve ter conhecimentos em logística, gestão de recursos e segurança no trabalho para focar no bem-estar de pacientes e profissionais de saúde do hospital.

Planejamento Estratégico

Para cargos de liderança e direção, é preciso se especializar em Gestão Hospitalar Estratégica. Essa área é a responsável pela definição de metas realistas e alcançáveis de crescimento do hospital, focando em manter a continuidade nos atendimentos e orientando para a inovação nas equipes

Controle de Qualidade

O especialista em controle de qualidade na Gestão Hospitalar é o profissional quefoca na melhoria contínua da qualidade dos serviços de saúde. Pode realizar auditorias, fiscalizações e consultorias. Por isso, deve ter atenção aos detalhes entre suas principais competências.

Ao buscar uma especialização em áreas de Gestão Hospitalar, os profissionais aumentam suas oportunidades de trabalho e elevam a qualidade do atendimento ao paciente e a eficiência organizacional dos hospitais e centros de saúde.

administrador falando com médicos em reunião
Desenvolvendo estratégias para um atendimento de qualidade.

Onde o egresso do curso de Gestão Hospitalar pode atuar?

Depois de concluir o curso de Gestão Hospitalar, os recém-formados possuem várias frentes possíveis e oportunidades de atuação, considerando a complexidade dos sistemas de saúde e a demanda pela otimização de processos operacionais.

 Entre as opções estão:

Hospitais públicos e privados

Os hospitais são a principal área de atuação para os gestores hospitalares. Lá, podem utilizar os conhecimentos adquiridos durante a graduação para administrar diferentes setores da instituição, como recursos humanos, financeiros, operacionais e de serviços. 

Os hospitais contam com equipes médicas, logísticas, organizacionais e de apoio, além de uma variedade de infraestruturas e equipamentos. Tudo isso deve ser coordenado com cuidado, sendo papel do gestor hospitalar fazer a análise contínua e implantação de melhorias. Eles trabalham para garantir que todos os processos sejam eficientes, que os recursos sejam bem utilizados e que os pacientes recebam cuidados de qualidade. 

Clínicas médicas

Em clínicas médicas, os gestores hospitalares desempenham funções similares às dos hospitais, porém com um enfoque na especialidade atendida.

O curso de Gestão Hospitalar oferece as ferramentas para administração das operações diárias, incluindo a organização de consultas, gestão de estoques de medicamentos e materiais de trabalho, manutenção de equipamentos, controle financeiro e, se necessário, gestão de equipes. 

Quando esses processos são eficientes, os pacientes têm um acesso mais rápido e transparente aos serviços de saúde, o que favorece a longevidade da clínica.

Laboratórios diagnósticos

Nos laboratórios de análises clínicas, os gestores hospitalares são fundamentais para a organização e administração dos serviços e ferramentas. São eles os responsáveis pela compra de reagentes, agendamento de manutenções de equipamentos e contratação de serviços de apoio. 

Unidades Básicas de Saúde (UBS)

As Unidades Básicas de Saúde são a porta de entrada para o sistema público de saúde no Brasil, oferecendo serviços diretamente às comunidades locais. O curso de Gestão Hospitalar, com o enfoque em otimização de processos e gestão informada, pode fazer com que essas unidades tenham atendimentos mais efetivos e rápidos, melhorando o acesso à atenção primária de saúde.

Órgãos Reguladores

Entre os conhecimentos adquiridos durante a graduação em Gestão Hospitalar estão Cidadania e Políticas de Acesso à Saúde. Por isso, os gestores hospitalares também podem atuar em órgãos reguladores, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e outras entidades governamentais. 

Empresas de Saúde

Em empresas privadas de saúde, como seguradoras, operadoras de planos e serviços de home care, os gestores hospitalares desempenham papéis importantes na administração e operação dos serviços oferecidos. Conforme visto nas disciplinas de Gestão de Pessoas e Gestão de Contratos, Terceirização e Licitação, podem analisar contratos e buscar alternativas quando necessário.

Tecnologia Aplicada à Saúde

A tecnologia é uma área crescente no Brasil e isso inclui a aplicação na saúde. Cada vez mais, surgem softwares de gestão hospitalar e outras soluções digitais para armazenamento e atendimento. Os profissionais de Gestão Hospitalar são qualificados tanto para prestar consultoria na criação de ferramentas como para monitorar seu uso nos hospitais.

mulher mexendo em tablet em hospital ou clínica
Transformando a saúde com planejamento estratégico.

Terceiro Setor

Parte da formação em Gestão Hospitalar envolve disciplinas com foco comunitário, tais como Ações Educativas em Segurança do Trabalho e Biossegurança. Esses conhecimentos podem ser aplicados no terceiro setor, oferecendo apoio técnico para que as organizações forneçam informações qualificadas sobre saúde e prevenção para a população vulnerável.

Centros de Pesquisa

Além das opções operacionais, o aluno que terminou o curso de Gestão Hospitalar pode aprofundar seus estudos, buscando inserção na área de pesquisa e inovação. Existem centros de pesquisa científica e social que ajudam no desenvolvimento de novos tratamentos, vacinas, remédios e tecnologias.

Para que isso seja possível, é necessário ter organização e cuidado com processos delicados, além de análise e prevenção de riscos. O curso de Gestão Hospitalar prepara profissionais com habilidades necessárias para esse cenário.

É melhor ingressar na faculdade pública ou privada?

Não existe uma resposta única, O curso tecnólogo de Gestão Hospitalar é oferecido tanto em faculdades públicas quanto privadas pelo Brasil. Cada opção tem suas vantagens e desvantagens, por isso, é preciso escolher com atenção.

Faculdade Pública em Gestão Hospitalar

As universidades públicas oferecem formação universitária em Gestão Hospitalar de forma gratuita. Mas os processos seletivos para essas vagas são bastante concorridos, o que pode dificultar o acesso ao curso.

Um aspecto interessante dessa opção é o foco em extensão: durante a graduação, os alunos poderão participar de diferentes projetos voltados para a comunidade, o que facilita o contato com diferentes áreas da Gestão Hospitalar e seu impacto social. 

Faculdade Privada para Gestão Hospitalar

Já nas faculdades privadas, o aluno deve arcar com mensalidades ou buscar uma bolsa de estudos. Apesar disso, o custo x benefício acaba sendo favorável: essas instituições costumam ser mais inovadoras e modernas, contando com laboratórios, equipamentos e plataformas necessárias para oferecer o conteúdo atualizado.

Quanto custa a graduação em Gestão Hospitalar?

A graduação em Tecnólogo em Gestão Hospitalar requer investimento variado, conforme a modalidade de ensino que o aluno busca, a instituição que oferece essa formação e a infraestrutura adicional Por isso, é importante pesquisar as opções disponíveis de acordo com sua preferência e avaliar cada mensalidade dentro do seu orçamento pessoal.

É essencial, claro, que a instituição escolhida esteja em dia com as obrigações educacionais, obtendo conceitos altos na avaliação do Inep. São esses os cursos que realmente funcionam para inserir o aluno na profissão. A partir daí, cada faculdade traz um custo individual com base na quantidade de alunos interessados, amplitude do curso e materiais extra.

Na Unopar, por exemplo, o aluno pode optar pelo curso tecnólogo em Gestão Hospitalar tanto na modalidade EAD quanto Semipresencial, com condições específicas a cada modalidade. O Semipresencial tem mensalidades de R$199, enquanto o custo mensal para começar a graduação na modalidade EAD é de R$178,99.

cofrinho com chapéu de formando e vidro de moedas
Curso de Gestão Hospitalar: retorno garantido para sua carreira.

Tem como conseguir Bolsa de Estudos em Gestão Hospitalar?

Sim! Se o aluno quer começar o curso de graduação em Gestão Hospitalar, mas precisa de condições especiais, existe a possibilidade de requerer bolsas de estudo, buscar parcerias educacionais e condições especiais de pagamento. 

Cada faculdade tem uma política de incentivo aos alunos diferente, incluindo bolsas, estágios remunerados, auxílio estudantil e empréstimos durante a graduação.

Entre as opções de parcerias e convênios da Unopar está a parceria empresarial. Funciona assim: a empresa se cadastra no programa com todos os dados relevantes. Depois disso, os funcionários e seus dependentes recebem descontos especiais para a realização de cursos de graduação e pós-graduação.

No caso do curso de Gestão Hospitalar, essa parceria entre centros de saúde e universidades traz grandes benefícios. Além de qualificar profissionais de saúde para cargos de coordenação e gestão de projetos, ainda garante conhecimentos de impacto em saúde para profissionais do setor administrativo.

Se a sua empresa oferece bolsas de estudo ou parcerias com instituições de ensino, é essencial aproveitar a oportunidade para transformar a trajetória de sua carreira.

Como entrar em Gestão Hospitalar?

O processo seletivo para o curso de Gestão Hospitalar depende da modalidade de estudos escolhida e das IES nas quais o aluno está interessado. Depois de escolher as faculdades com a matriz curricular de interesse, o candidato deve buscar informações sobre a forma de entrada, inclusive alternativas.

Enem

A primeira opção é o Exame Nacional do Ensino Médio. Realizada duas vezes ao ano, a prova mede os conhecimentos dos alunos nas áreas vinculadas ao ensino básico, gerando critérios mínimos para o aproveitamento do curso superior.

Muitas universidades, inclusive privadas, utilizam a nota do ENEM para classificar a pontuação dos alunos, tanto unicamente quanto em conjunto com outras formas. A partir disso, muitas dessas instituições também oferecem bolsas de estudos para os alunos que se destacam.

Sisu

Ao realizar o ENEM, o aluno também pode usar sua nota no Sisu, Sistema de Seleção Unificado das instituições públicas. Depois de receber suas notas da prova, o aluno faz o registro na plataforma digital, escolhe suas opções de curso e é classificado conforme os outros candidatos.

Os estudantes que se destacam são a primeira lista de convocados, enquanto outros participantes, se atingirem as notas mínimas, podem ser colocados na lista de espera do Sisu. Conforme os primeiros chamados fazem a escolha final, as vagas são remanejadas para os próximos colocados.

Vestibular para graduação de Gestão Hospitalar

Outras instituições de ensino, privadas e públicas, desenvolvem processos seletivos próprios. No caso de universidades mais generalistas, os vestibulares incluem conhecimentos gerais e redação. Já as faculdades focadas em formações de saúde podem exigir uma prova de conhecimento na área e outras etapas diferenciadas além das provas objetivas de conhecimentos do Ensino Médio, como forma de filtrar o perfil de alunos interessados.

Cada faculdade pode optar pela melhor forma de realizar essas provas, sendo anuais ou semestrais conforme o calendário do curso. Muitas delas oferecem vestibulares na modalidade online, facilitando a participação de candidatos que vivem fora da área do polo educacional. Por isso, essa opção se destaca para alunos interessados no curso de Gestão Hospitalar na modalidade EAD.

rapaz fazendo prova em sala de aula
A melhor relação custo-benefício para sua formação em Gestão Hospitalar.

Quais as exigências para se formar em Gestão Hospitalar?

Gestão Hospitalar exige estágio obrigatório?

Sim, é necessário que o aluno faça atividades profissionais na forma de estágio para se formar em Gestão Hospitalar. Esse estágio deve estar alinhado com a proposta pedagógica do curso e ser feito em instituições parceiras, como hospitais e centros de saúde. Além disso, é supervisionado por docentes qualificados.

Enade para Gestão Hospitalar

Periodicamente o Inep faz a análise de qualidade de cursos superiores por meio de uma série de avaliações, incluindo o Enade. O Enade é uma prova de conhecimentos específicos que deve ser realizada pelos concluintes do curso de Gestão Hospitalar conforme o calendário. 

A participação, além de obrigatória, ajuda a manter a integridade do curso perante o MEC.

Tem TCC para se formar em Gestão Hospitalar?

Não, o TCC não é obrigatório para se formar em Gestão Hospitalar. Algumas IES podem oferecer de forma complementar, mas essa prática de pesquisa não faz parte da matriz curricular.

Vale a pena cursar Gestão Hospitalar?

Cursar Gestão Hospitalar é uma opção prática para profissionais que se interessam pela parte administrativa dos serviços de saúde e querem obter os requisitos necessários para começar sua carreira na área. 

Por ser um curso tecnólogo, de menor carga horária, ele permite uma inserção mais rápida no mercado de trabalho. Nesse sentido, vale a pena tanto para jovens profissionais quanto para pessoas com experiência que buscam recolocação ou transição de carreira para esse setor.

Média salarial de Gestão Hospitalar

Segundo o portal GlassDoor, um profissional de Gestão Hospitalar recebe, em média, 8 mil reais por mês, com potencial de maior remuneração em instituições de saúde de alta tecnologia. Essa remuneração é atrativa para profissionais iniciantes, já que indica valorização do mercado.

Investimento X Retorno da graduação de Gestão Hospitalar

A oportunidade de estudar Gestão Hospitalar pode ser transformadora para a carreira do aluno. Por ser um curso tecnólogo, ele exige menos compromisso de carga horária, mas, ainda assim, é essencial se dedicar aos estudos e ao aprofundamento da prática profissional e suas vertentes.

O investimento recebe grande retorno: trabalhar com saúde significa ter espaços de trabalho com bastante demanda por novos profissionais qualificados. Segundo pesquisas realizadas pelo IBGE, o segmento apresenta constante crescimento ao longo dos anos. Entre 2010 e 2021, houve crescimento de quase 60% nas posições de trabalho necessárias para as operações de saúde no Brasil. O levantamento também indica que mais de 8 milhões de brasileiros trabalham em atividades relacionadas à saúde. 

Na prática, isso mostra que cada vez mais existe a demanda por profissionais que tenham conhecimento de práticas de negócios e gestão de recursos para otimizar esses espaços de trabalho, levando em consideração os aspectos específicos da saúde. Ou seja, cursar Gestão Hospitalar é um caminho com bastante potencial a longo prazo.

Por que escolher a Unopar para o curso de Gestão Hospitalar?

O curso superior de tecnologia em Gestão Hospitalar é uma ótima forma de unir o interesse pela área de saúde e a busca por sistemas mais eficientes, otimizando os processos internos de clínicas, hospitais e equipes médicas, gerando ambientes mais preparados para cuidar do paciente.

A Unopar, agora unida à Anhanguera, oferece um curso de Gestão Hospitalar que se destaca por sua infraestrutura moderna, corpo docente altamente qualificado e diversas modalidades de ensino que se adaptam às necessidades dos alunos. Esta fusão fortalece ainda mais a instituição, proporcionando uma inserção sólida no mercado de trabalho e facilitando a empregabilidade dos formados.

Quer saber mais? Inscreva-se já!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Formas de ingresso na faculdade
Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Oops! Invalid captcha, please check if the captcha is correct.
Artigos relacionados