O que é um orientador educacional e como ele pode ajudar?

orientador educacional e aluno

Entender a atuação de um orientador educacional vai ser bom para você por dois motivos: primeiro, porque, independentemente dos seus planos de carreira e área de atuação, esse profissional pode ajudá-lo. Com as técnicas pedagógicas e psicológicas certas, ele pode auxiliar a nortear seus estudos e sua escolha profissional para além da faculdade.

Por outro lado, pode ser que você pretenda se tornar um orientador educacional. Nesse caso, vai precisar compreender a respeito da capacitação do profissional para mediar conflitos, exercer sua paciência e atenção e entender a relação da profissão com um curso de Pedagogia. Talvez, o próprio contato com ele para os estudos possa inspirar a ideia de seguir carreira na área.

Então, este artigo tem como objetivo incentivar que você busque a ajuda de um orientador, ou que você dê os seus primeiros passos rumo a essa formação pedagógica. Continue conosco e saiba o que ele esse profissional faz, como é sua formação, quais são as suas atribuições e como está o cenário no Brasil para essa importante profissão!

O que faz um orientador educacional?

Nas escolas, o orientador tem como função dar um acompanhamento pedagógico — o que também significa dizer apoio psicológico e, até certo, ponto emocional — mais individualizado a cada aluno. Então, é ele quem deve perceber traços incomuns no aprendizado e no desenvolvimento de cada estudante nas escolas regulares por meio do seu comportamento em sala de aula.

Já quando falamos de alunos adultos, essa abordagem costuma assumir também contornos de uma orientação profissional. Afinal, é normal que os as pessoas se sintam perdidas ou, em algum momento do curso, comecem a duvidar das oportunidades geradas pela profissão que escolheram. É aí que entra o trabalho do orientador educacional em cursos profissionalizantes ou em faculdades.

Qual é a formação necessária?

O campo de estudo do profissional gira em torno de três áreas principais: Pedagogia, Psicologia e Educação. Ao se formar em uma faculdade de Pedagogia, ele precisa ter profundo entendimento das nuances relativas ao aprendizado enquanto processo e da organização emocional e cognitiva que forma a base intelectual para o ato de aprender.

Aliás, é exatamente porque a cognição está muito relacionada com a mente e as emoções que se faz necessário temperar esse conhecimento com o estudo das correntes psicológicas. Por último, a parte da Educação envolve os aspectos políticos, econômicos, filosóficos e sociais relativos à transmissão do conhecimento entre as gerações nas sociedades.

A mistura de disciplinas como essas assegura ao orientador educacional uma microvisão dos problemas da escola e da instituição em que trabalha, sem perder de vista as questões macro que ocasionam indiretamente o que ele presencia no dia a dia.

Quais são as atribuições desse cargo?

Ao ler tudo isso, pode ser que você esteja se perguntando em que essa profissão se diferencia da de outros cargos responsáveis pelo funcionamento da instituição, como é o caso do diretor, do supervisor e do coordenador pedagógico. A rigor, é o orientador educacional que responde pelo chamado “currículo oculto” nas escolas e nas faculdades, sendo essa a sua maior atribuição.

Esse currículo versa sobre as atitudes não descritas na grade curricular, e que formam um guia de atitudes necessárias para gerir crises. Então, ele se aplica, principalmente, a situações que envolvem poder de decisão rápido, tranquilidade, conhecimento e improviso. Estamos falando de momentos críticos envolvendo professores e alunos, além de problemas entre a coordenação pedagógica e os estudantes.

Portanto, espera-se do orientador uma postura de mediação, ao mesmo tempo em que o faça em decisões rápidas tomadas com base em seus anos de estudo. Aliar rapidamente teoria e prática e ser parcimonioso, atuando em situações para as quais a maior parte dos profissionais da escola não está preparada.

Nesse sentido, ele deve ter um bom relacionamento com alunos e responsáveis (no caso de escolas regulares), professores e direção. De certa forma, ele vai sempre intermediar interesses conflitantes entre:

  • professores e alunos;
  • professores e direção;
  • pais (responsáveis) e professores;
  • alunos e direção.

Você acredita ter esse perfil moderador? Identificou-se com algumas das necessidades inerentes ao cargo que explicamos acima? Então, talvez a profissão de orientador pedagógico seja para você. Vejamos como é o cenário brasileiro para esse profissional, que pode ajudá-lo a saber se deve escolher ou não essa escolher a graduação.

Além disso, você pode aproveitar os cursos online gratuitos com certificado para ver se gosta mesmo da área. A vantagem disso é já ter uma ideia do que aguarda você na faculdade.

Como é o cenário da orientação educacional no Brasil?

As oportunidades para esse profissional são tão grandes quanto o número de instituições que demandam seu trabalho. Embora seja menos comum a sua atuação em cursos livres — pelo menos os de pequeno porte — o orientador educacional é requisitado em todas as outras modalidades de ensino.

Estamos falando de escolas regulares, faculdades, cursos profissionalizantes, técnicos, pré-vestibulares e outros. É uma profissão regulamentada e recomendada pelo MEC em quase todos os estados brasileiros, em instituições de ensino privadas ou públicas.

Como ele pode me ajudar?

Como dissemos no início deste artigo, você pode se beneficiar dos conhecimentos sobre o trabalho do orientador educacional tanto para compreender a área de atuação desse cargo — caso esteja em dúvida se deve ou não seguir os estudos visando a essa profissão — quanto para fazer uso dos serviços e auxílios dele para ajudar a nortear seus estudos e carreira, transformando-se em um bom profissional.

Contar com um orientador para saber como estudar e que vagas perseguir no mercado de trabalho, por exemplo, também é uma ótima ideia. A visão de curto, médio e longo prazos que esse profissional tem da Educação inserida no contexto econômico e político junto a sua formação que envolve Psicologia — o que o capacita a entender as necessidades de cada indivíduo — formam uma excelente combinação.

Aqui na Unopar, os orientadores educacionais estão cientes desse importante papel e sabem como cumpri-lo. Nossos profissionais estão sempre dispostos a receber e conversar com os alunos, seja presencialmente ou online. Afinal, o papel de uma faculdade vai além do conteúdo que é ministrado na sala de aula. A formação ética dos profissionais e a ajuda para que se integrem ao mercado de trabalho deve ser objeto constante de aprendizado e ensino.

E, se você tem dúvidas sobre como é a dinâmica de uma graduação a distância, entenda, agora, como vai funcionar a sua sala de aula virtual no EAD! Lá, abordamos as questões sobre o acesso ao material didático, a relação com os professores, como são tiradas as dúvidas ao longo do curso e muito mais sobre essa modalidade de ensino.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.