Passo a passo: como voltar a estudar e impulsionar a carreira

Voltar a estudar é uma etapa fundamental para crescer profissionalmente. Como mostram os dados do IBGE, que você verá ao longo deste conteúdo, o diploma de ensino superior oferece maior empregabilidade e salários, sendo uma medida bastante eficaz para ter estabilidade financeira e construir uma vida melhor.

Por isso, embora seja normal sentir medo e receio, principalmente em relação ao retorno após anos longe do sistema de ensino, a educação deve ser uma prioridade. E, como ficará claro ao longo deste conteúdo, com organização e planejamento, a graduação é perfeitamente realizável.

Aqui, você aprenderá a promover os ajustes necessários e criar as condições para cursar o ensino superior. Continue a leitura para aprender uma série de dicas práticas e não perca a oportunidade de obter o seu diploma!

Por que voltar a estudar é tão importante?

A partir da década de 1980, a tecnologia trouxe mudanças rápidas e profundas no modo de ser das sociedades, que afetaram o mercado de trabalho. Entre outras coisas, o capital humano, — conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes das organizações —, se tornou um dos principais ativos, senão o principal, das empresas.

As competências, nesse sentido, se tornaram o motor para o crescimento profissional. Ou seja, não basta realizar um bom serviço, é preciso ter iniciativa para entregar as aptidões de que as organizações necessitam. Não à toa, é cada vez mais comum as pessoas realizarem o autogerenciamento de carreira e investirem em educação, em vez de esperarem as oportunidades simplesmente cheguem.

Tudo isso serve para entender que a qualificação profissional é uma etapa indispensável para quem deseja melhorias de vida e de carreira. E, entre as opções disponíveis, o diploma de nível superior será uma vantagem competitiva fundamental. É simplesmente o que há nos melhores currículos.

Essa relação fica evidente quando se analisa o crescimento do salário médio conforme o nível de instrução. Veja os dados da IBGE, em sua Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do 2º trimestre de 2019:

  • ensino fundamental completo ou equivalente — R$1.436,00;
  • ensino médio completo ou equivalente — R$1.745,00;
  • ensino superior incompleto — R$2.177,00;
  • ensino Superior completo ou equivalente — R$4.773,00.

Perceba que as médias salariais saltam para mais do que o dobro entre o ensino médio e o superior completos. Além disso, outro dado relevante é a taxa de desocupação, que caracteriza a falta de trabalho formal e informal. O índice geral é de 12%, enquanto nos graduados cai para 6,1%, demonstrando a melhor empregabilidade.

Por isso, voltar a estudar é tão importante. Muitas pessoas têm dúvidas se fazer faculdade depois dos 40 anos vale a pena, igualmente, depois dos 30 e, até mesmo, dos 20, e a resposta é positiva. O tempo, dinheiro e esforço serão recompensados com o acesso a um novo segmento, em que as oportunidades são muito mais vantajosas. Trata-se de promover uma verdadeira mudança de vida.

Qual é o impacto da educação na qualidade de vida?

O acesso à maior empregabilidade e remuneração exerce uma forte influência na qualidade de vida do graduado, em todos os estágios da vida. Idade e faculdade não são questões excludentes. Até porque, além de o orçamento familiar contemplar mais recursos para saúde, lazer, moradia, alimentação e afins, os índices mais baixos de desemprego minimizam os períodos sem contribuição para a Previdência Social, impactando a aposentadoria.

A formação superior também representa a chance de investir na educação dos descendentes. É bastante comum que pais que não tiveram a oportunidade de ingressar na faculdade queiram conceder esse benefício para os filhos, e o investimento em educação é uma estratégia para conquistar um salário robusto e realizar esse sonho.

Outro ponto é a satisfação no trabalho. Somente quando realizam o curso superior, as pessoas realmente conseguem escolher a área de atuação. Afinal, como o ensino médio é uma formação básica e geral, o trabalhador ingressa no segmento em que aparecem as primeiras oportunidades, independentemente de gostar ou não do serviço.

Já a graduação apresenta segmentos para todos os perfis. Há quem prefira humanas, como Psicologia, Direito, Letras, Administração e Sociologia, quem seja mais de exatas, como Contabilidade e Estatística, e outros tantos de biológicas, como Enfermagem e Fisioterapia. Em cada setor, é possível conciliar interesses profissionais e pessoais, com o objetivo de trabalhar em algo que traga satisfação.

Por que essa deve ser sua prioridade?

As justificativas para priorizar a educação e a importância da faculdade estão ligadas ao contexto em que se vive hoje e ao retorno que o investimento pode oferecer. Confira uma lista com os porquês de alocar seu tempo e dinheiro em uma qualificação superior.

Aumentar a remuneração

Nenhum outro investimento permitirá uma melhoria de vida proporcional a obtida com o auxílio da educação, considerando a diferença de quase três vezes entre os salários do nível médio e superior. É uma verdadeira mudança de patamar, a partir da qual, a pessoa pode deixar de ter um orçamento apertado e conquistar uma renda robusta.

Aproveitar as oportunidades de ingresso

Se você pensa “quero fazer faculdade, mas não tenho dinheiro”, deixar o ensino superior para depois pode significar perder um momento único. Bolsas integrais e parciais, Fies, parcelamento estudantil e mensalidades mais baixas, especialmente no EAD, são as condições atuais para entrar na faculdade. Há, portanto, uma janela de oportunidades para quem passa por dificuldades ou tem um orçamento enxuto.

Suprir a escassez de talentos

O Brasil ainda é caracterizado por ser um país com alto desemprego, mas escassez de talentos. Isso significa dizer que existem oportunidades para ser contratado: o problema é a falta de qualificação profissional.

Pensar no futuro

Com os avanços tecnológicos, a automação de processos se torna uma tendência cada vez mais presente nas organizações. Assim, quem atua em uma atividade repetitiva corre o risco de não encontrar oportunidades em futuro próximo. Por exemplo, o número de assistentes administrativos necessários para tocar a gestão cairá sempre que um software automatizar processos como arquivamento, pesquisa e compartilhamento de informações.

Logo, a solução, nessa situação, é ser o profissional de Ciências da Administração, que cuida da estratégia, para se adaptar à transformação digital das empresas. Isso significa que a qualificação é uma forma de prestar serviços que exigem reflexão e criatividade, preparando-se para os impactos da tecnologia.

Melhorar a autoestima

O diploma de graduação é uma forma de realização, porque simboliza a superação de desafios e a materialização de um sonho. Ao lado da justificativa financeira, existe um lado emocional importante. Por isso, pare de adiar essa etapa tão importante para o sucesso profissional e volte a estudar imediatamente!

Como voltar a estudar?

Agora que você já entende os benefícios de retomar os estudos, é hora de focar em como tocar esse projeto de maneira sustentável. Com planejamento e organização, mesmo quem conta com um orçamento apertado pode encontrar uma opção viável e, assim, realizar o curso sem dores de cabeça. Confira o passo a passo.

Faça um planejamento financeiro

A opção por voltar a estudar terá impacto no orçamento doméstico, com um peso que varia de acordo com a forma de ingresso escolhida. Por isso, o primeiro passo é a organização financeira para dar conta das despesas ao longo do curso e, principalmente, para não correr o risco de trancar a faculdade.

Diagnóstico

Comece com a listagem de tudo o que você ganha e gasta mensalmente, criando duas colunas em uma folha de papel. Lembre-se também de organizar as despesas por tipo, como supermercado, cartão de crédito, aluguel e contas domésticas, assim como as fontes de renda, somando tudo ao final.

Corte de gastos

Procure maneiras de enxugar a coluna das despesas. Após anotar tudo, ficará mais fácil identificar o impacto das escolhas realizadas no orçamento doméstico. Posteriormente, busque metas de economia razoáveis. Por exemplo, dificilmente uma pessoa conseguirá zerar os gastos supérfluos, porque lazer e amenidades fazem parte da vida. O segredo é colocar as despesas em patamares compatíveis com o seu padrão de vida.

Também é importante chegar a acordos financeiros com os familiares. Em muitos casos, o orçamento doméstico conta com a contribuição de diversas partes, e o diálogo será fundamental para economizar e destinar recursos para as prioridades financeiras. Até porque, todos se beneficiarão caso você consiga obter o diploma.

Além disso, com o crescimento do ensino a distância e do semipresencial, as mensalidades se tornaram mais acessíveis. Logo, com algumas melhorias na qualidade dos gastos com compras, cartão de crédito, bens de consumo etc. já é possível obter uma folga no orçamento e organizar-se para realizar o curso superior,

Identifique a melhor forma de ingresso

Após organizar as contas, a etapa seguinte é encontrar uma opção compatível com o orçamento, a fim de ingressar no ensino superior. Atualmente, há tanto modalidades privadas como políticas públicas que podem reduzir o peso da mensalidade ou transferir a cobrança para depois da faculdade, sem contar as mensalidades mais baixas.

Vestibular

As instituições privadas trabalham com preços menores do que em outros tempos, especialmente no EAD. Logo, um bom ponto de partida é pesquisar uma instituição que ofereça o ensino a distância ou o semipresencial, para entender os valore praticados.

Na Unopar, você pode pesquisar, selecionando os cursos de seu interesse nas opções de graduação. A página redirecionará para as informações de todos os polos da sua região, com endereço e site específico, em que é possível tirar todas as dúvidas sobre a faculdade.

Prouni

A bolsa governamental é concedida via ENEM. Basicamente, após realizar a prova e obter um resultado superior a 450 pontos e não zerar a redação, o interessado acessará um sistema unificado, em que as instituições de ensino oferecem vagas, com custeio total ou parcial das mensalidades do curso superior.

Um ponto importante é que mesmo quem pretende voltar a estudar após muito tempo têm boas chances de obter a bolsa. É que a seleção considera a renda e área do curso como questões determinantes. Por exemplo, se você quiser estudar Direito, o resultado de Português no Exame Nacional será mais importante do que o de Química, logo, ao retomar os estudos, é possível estudar de maneira muito mais focada.

FIES

Uma alternativa à bolsa de estudos é o financiamento estudantil. Após a reformulação ocorrida em 2017, o FIES apresenta modalidades públicas e privadas. Veja as condições para acessar o programa com recursos governamentais:

  • nota mínima no ENEM de 450 pontos na prova e acima de zero na redação;
  • percentual de financiamento proporcional aos rendimentos familiares;
  • renda mínima de 1 a 3 salários;
  • juros real zero;
  • pagamento das prestações após a conclusão do curso;
  • contratação de seguro de vida e pagamento de encargos estudantis durante a faculdade;
  • redução da parcela quando o aluno não tem renda após o curso.

Por sua vez, a opção de financiamento privado, o P-Fies, é concedida pelos bancos, e a redução de juros varia de acordo com a instituição, podendo, inclusive, chegar a zero. A faixa de renda, nesse caso, é de 1 a 5 salários-mínimos.

Em qualquer forma de ingresso, não há discriminação entre o tipo de certificado de ensino médio. Tanto que se formou no modelo tradicional como quem faz supletivo pode fazer faculdade. A única vantagem é que, em alguns casos, a escola pública pode ser um critério de desempate ou para concessão de benefícios.

Defina suas prioridades

Voltar a estudar é perfeitamente possível do ponto de vista financeiro. Hoje, existem opções mesmo quando a pessoa tem um orçamento apertado e não sobra muito no fim do mês. Na verdade, em muitos casos, a definição de prioridades é o principal entrave para realizar o curso superior.

Antes de pesquisar sobre as opções EAD e semipresenciais, os interessados frequentemente acreditam que o ensino superior ainda é algo muito caro e pouco acessível. Porém, quando veem os preços praticados, descobrem que os ajustes no orçamento familiar podem ser suficientes para fazer frente ao investimento.

Um experimento prático é separar a parcela necessária para manter os estudos antes de calcular as outras despesas. Logo após, tente reorganizar o orçamento a partir dos valores restantes, identificando quais são os ajustes possíveis. Uma vez que a pessoa coloca tudo no papel e tem um incentivo para economizar, as soluções aparecem.

Também é possível que os recursos estejam alocados em bens de consumo. Não é incomum ver profissionais que deixam o estudo de lado e gastam o equivalente na compra de eletrônicos, móveis e outros produtos, em momentos em que não são essenciais. Ao adiar só um pouco esses gastos e buscar o diploma, é possível ter um grande retorno em termos de salário e empregabilidade em um futuro próximo.

Busque o curso ideal para você

Com as finanças organizadas, é hora de pensar a melhor opção de curso superior. O ponto fundamental é somar o interesse pessoal e as oportunidades de carreira, bem como aproveitar os conhecimentos adquiridos na vida profissional, escolhendo uma faculdade dentro da sua área de atuação. Veja critérios importantes:

  • faça testes vocacionais e de perfil profissional;
  • liste os assuntos em que você tem mais facilidade;
  • compare as opções de curso com o impacto na sua área;
  • pesquise sobre as profissões em alta na sua região;
  • avalie o custo-benefício dos cursos oferecidos pela instituição de ensino;
  • veja as modalidades oferecidas;
  • reflita sobre suas preferências.

Inicie por uma lista com vários cursos que se encaixam nos critérios apresentados. Posteriormente, elimine as áreas, até chegar a cerca de três opções. Por fim, elabore um quadro com as vantagens e desvantagens das modalidades restantes, definindo o plano A, o B e o C.

Fique atento também à qualidade e tradição da instituição de ensino. Uma graduação deve gerar benefícios em duas direções: de um lado, o amadurecimento profissional, com novos conhecimentos, habilidades e atitudes; de outro, o peso do diploma no currículo e as oportunidades de trabalho.

Outro critério é o reconhecimento pelo MEC. Uma breve consulta às instituições credenciadas pode evitar grandes dores de cabeça no futuro. Ademais, é importante que o índice geral do curso seja considerado bom nas avaliações realizadas pelo órgão do governo federal, que aferem não apenas a nota do ENADE, mas também a infraestrutura oferecida para o aluno.

Por fim, sempre consulte os docentes da instituição de ensino. O ideal é que os professores sejam altamente capacitados e tenham experiência com o ensino, somando a didática com títulos de especialização, mestrado ou doutorado. Na Unopar, você encontrará os atributos listados em diferentes opções de curso, além da tradição, qualidade e flexibilidade necessárias para conquistar o diploma com segurança.

Encontre uma modalidade de ensino flexível

O outro recurso exigido pelo estudo é o tempo. Voltar a estudar normalmente requer o equilíbrio entre as demandas de trabalho, estudos e família. A dupla ou tripla jornada pode assustar em um primeiro momento, mas também equivale à máxima de que, com planejamento e organização, é possível conquistar o diploma.

O fator que vem mudando a vida das pessoas são as modalidades de ensino a distância e semipresencial. Ambos invertem a relação entre curso e aluno, ou seja, é a faculdade que se ajusta à sua rotina, e não o contrário. Veja as principais características!

EAD

No ensino a distância, o estudante acessa uma plataforma pela internet, ou seja, sem instalar nenhum programa ou depender de um computador potente. Lá os conteúdos são disponibilizados em texto, vídeo, áudio e jogos, entre outras modalidades. Além disso, o aluno participa de tarefas e fóruns para exercitar o conhecimento e interagir com os colegas.

A disciplina, nesse caso, é facilitada por um modelo de milestones (marcos). Ou seja, o desafio é divido em pequenas etapas e, a cada semana, o participante supera uma parcela compatível com suas possibilidades de aprendizado e tempo. Há um plano criado para desenvolver a consistência no estudo do aluno.

Também é possível contar com o auxílio de tutores online para tirar dúvidas tanto sobre o conteúdo como sobre acesso, tarefas e uso da plataforma. O ambiente virtual de aprendizagem é um ponto de encontro digital entre alunos e docentes, oferecendo todos os recursos para auxiliar a conclusão do curso, inclusive, questões relacionadas à secretaria.

Assim, o EAD transfere quase a integralidade do curso para o ensino online, restando apenas algumas atividades práticas, como as realizadas em estágio obrigatório, laboratórios e quadras de esporte, fora do modelo — logo, que exigem a presença do estudante no estabelecimento de ensino durante a faculdade.

Semipresencial

A modalide de semiprencial, que é oferecida pela Unopar, diferente daquela habitualmente praticada no mercado. Em vez de transferir apenas algumas matérias para o online e realizar a maior parte presencialmente, o sistema adotado exige a frequência, normalmente, a apenas um dia por semana para aulas teóricas.

Nessa data, o aluno assistirá a exposição do conteúdo transmitida por satélite, tirará dúvidas com tutores presenciais, participará de dinâmicas e poderá interagir com os colegas de classe. É um forma de agregar os benefícios da sala de aula ao ensino a distância, mantendo a flexibilidade de horários na maior parte do tempo.

A vantagem é clara. A mudança na sua rotina, necessária para frequentar um único dia, é muito menor do que a exigência do ensino presencial. Por isso, avalie conforme as suas circunstâncias: se for realmente impossível frequentar, ao menos, um dia, o EAD atenderá o objetivo principal e que deve ser o foco, ou seja, concluir o curso para melhorar de vida.

Organize-se para conciliar estudos, trabalho e família

O tempo é um recurso, muitas vezes, investido de maneira até pior do que o dinheiro. As horas necessárias para a educação são frequentemente gastas em distrações ou desperdiçadas em uma rotina sem planejamento. Até porque, não é a quantidade, e sim a qualidade do estudo que faz a diferença.

Nesse sentido, para realizar uma boa gestão de tempo e conciliar as jornadas de aprendizado, família e trabalho, algumas dicas de planejamento podem ser bastante úteis:

  • tenha uma agenda ou um quadro de horários;
  • anote as atividades obrigatórias, como cumprir a jornada de trabalho;
  • liste todas as pendências e demandas de trabalho, família e estudos;
  • defina quando realizar as tarefas e atender as demandas de trabalho, filhos e estudos;
  • divida o período de estudos em pequenos blocos de 20 a 25 minutos;
  • marque horários para olhar todas as mensagens de e-mail, redes sociais etc. de uma única vez.

Quanto ao horário de estudos, as rotinas podem exigir medidas diferentes. Há pessoas que tem um horário fixo, enquanto outras espalham os blocos de estudo ao longo do dia. A principal dica é sempre realizar anotações à mão e dedicar de 20 a 30 minutos para revisar as matérias, seguindo a chamada curva da memória:

  • revisar as anotações da aula ou leitura nas primeiras 24 horas antes de dormir;
  • no dia seguinte;
  • no sétimo dia após estudar;
  • no trigésimo dia.

A revisão pode ocorrer sempre que você tiver um tempo ocioso. Uma dica prática é gravar o resumo em áudio e utilizar os fones no transporte até o trabalho, horários de almoço e outros intervalos durante o dia.

Consiga o apoio da família

A família exercerá um papel significativo durante o processo. Além do aspecto emocional e de suporte à nova fase, o estudante é afetado em relação ao tempo e aos recursos investidos na formação, logo, deve participar da decisão.

Um ponto-chave é firmar acordos para conciliar as demandas familiares e de estudos. Reúna as pessoas e explique as necessidades e benefícios de realizar o curso superior, principalmente como todos serão afetados positivamente em um futuro próximo.

O tipo de acordo é bastante pessoal. Mudanças no orçamento familiar, redistribuição de tarefas, respeito aos momentos de estudo são tópicos relevantes para realizar uma faculdade tranquila e conquistar uma vida melhor para todos.

Coloque seu futuro em primeiro lugar

Como visto, o ensino superior é uma oportunidade concreta de melhorar as condições de vida. Com as mensalidades mais baixas e modalidades de ensino flexíveis, as barreiras para quem conta com um orçamento apertado e precisa conciliar jornadas caíram. Porém, a mudança só vai acontecer se você colocar o futuro em primeiro lugar.

Nesse sentido, não deixe de seguir os passos para impulsionar a carreira — afinal, você já sabe como voltar a estudar. Confira quais são eles:

  • faça um plano financeiro, reduzindo despesas desnecessárias;
  • defina prioridades, destinando recursos para educação;
  • busque o curso ideal, equilibrando interesse pessoal e oportunidades de mercado;
  • encontre uma modalidade de ensino flexível, focando no EAD e no semipresencial;
  • organize-se para conciliar estudos, trabalho e família;
  • consiga o apoio da família, firmando acordos de convivência;
  • coloque seu futuro em primeiro lugar, porque a mudança depende de você.

Sendo assim, pense esse roteiro como um conjunto de metas a serem alcanças nos próximos dias ou meses. Dessa forma, passo a passo, você conseguirá voltar a estudar e conquistará uma vida melhor para todos os seus familiares.

Sentiu-se motivado com este conteúdo? Então, acesse o blog da Unopar e confira outras publicações com dicas relevantes de carreira e estudos!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 3.7 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.