6 principais competências profissionais requisitadas pelo mercado

6principaiscompetenciasprofissionaisrequisitadaspelomercado

Dinamismo, competitividade e exigência. Essas são termos comuns quando descrevemos o mercado de trabalho atual. O ritmo em que as coisas caminham no mundo dos negócios é intenso, sobretudo, com o avanço das tecnologias e com a necessidade de inovar para sobreviver em meio à concorrência. Por isso, trazer para a equipe colaboradores competências profissionais estratégicas é certamente uma prioridade dos empregadores.

Acredite: as empresas vêm investindo em processos de recrutamento e seleção cada vez mais objetivos, e os recrutadores estão de olho nessas competências profissionais na hora de decidir quem avançará para as próximas etapas ou não. Quer saber quais são elas e como desenvolvê-las, aumentando suas chances de empregabilidade? Então, acompanhe o conteúdo!

1. Proatividade

A proatividade não poderia ficar de fora em uma lista sobre competências profissionais valorizadas pelas empresas. Ser proativo significa ter iniciativa para colocar boas ideias em prática e agir sem esperar ordens superiores. Em outras palavras, é acompanhar o ritmo do mercado e contribuir sempre com boas sugestões e caminhos para alcançá-las.

Trata-se de uma competência bastante observada em alunos de cursos ensino a distância (EAD), pois, como montam seus próprios horários, precisam ter determinação para manter a rotina de estudos sempre em dia, sem permitir que o rendimento seja comprometido. Para potencializar a habilidade no ambiente de trabalho, é importante se colocar à disposição, ajudando em situações difíceis e deixando de lado a tendência natural de evitar os riscos.

2. Autoconfiança

Ter confiança no que faz pode soar complicado ou intimidador para muitos. No entanto, essa é uma competência adquirida por meio de exercícios de autorreflexão. Somente conhecendo os seus pontos fortes e fracos, é possível aperfeiçoar habilidades e conquistar uma postura segura, o que é muito bem-visto pelos empregadores.

Ser autoconfiante significa não ter receio de expor ideias e sugestões, buscando mostrar ao próximo como você chegou àquela linha de raciocínio. Além disso, uma pessoa munida dessa competência raramente se sentirá desmotivada ou incomodada ao sair de sua zona de conforto, pois sabe que assumir riscos e errar faz parte do processo de crescimento.

Para desenvolver a autoconfiança, tenha consciência de seus objetivos e esteja sempre à procura de conhecimento para agregar à sua atuação profissional. Afinal, ter uma visão mais ampla de onde você pode chegar, além do devido embasamento, gera motivação e, é claro, confiança para traçar uma trajetória rumo ao sucesso.

3. Organização

Quando o assunto é descrição de competências profissionais, a organização é uma habilidade-chave. É claro que precisamos ser organizados também na vida pessoal, mas no âmbito profissional, tal característica diz muito sobre quem você é. Isso porque, para produzir em níveis satisfatórios e com qualidade, é preciso fazer uma boa gestão de tempo, recursos disponíveis etc.

Ou seja, não estamos falando apenas em manter um ambiente de trabalho organizado, mas, sim, de ser organizado em seus processos. Ter atenção aos prazos e cumpri-los à risca, avisando com antecedência caso ocorra qualquer contratempo são características fundamentais de quem tem essa competência. Para as empresas, nada melhor do que um funcionário que organiza bem o fluxo de trabalho, não concorda?

4. Sede de aprender

As novas tecnologias chegaram para otimizar processos, contribuir com o fluxo de produção e eliminar retrabalhos nas empresas. Um profissional com sede de aprender não hesita em ficar sempre a par das principais tendências de sua área de atuação, buscando dominar essas inovações e até mesmo ir além.

Os contratantes detectam muito bem essa competência nos processos de recrutamento e seleção, por isso, é fundamental desenvolvê-la ainda no período da graduação ou segunda graduação. Por isso, demonstre interesse pelos temas relacionados à sua atuação, participe de workshops, webinars e tudo mais que possa agregar conhecimento. Isso fará de você um profissional valorizado e completo.

5. Flexibilidade

Lidar com imprevistos e contornar os momentos de crise, além de serem características de alguém proativo, também tem muito a ver com a flexibilidade. Um profissional flexível não tem medo de mudanças — pelo contrário, tem autoconfiança e vontade de se adaptar a elas. Sabemos que as transformações são iminentes no universo corporativo, portanto, os colaboradores flexíveis são muito visados pelos empregadores.

Isso porque o mercado atual já não dá mais espaço para os profissionais que desistem dos seus objetivos na primeira dificuldade. Saber se adaptar às adversidades é algo que pode se adquirir ao enxergar os problemas como oportunidade para aprender e crescer, o que, como já falamos, também é essencial para um colaborador que quer obter sucesso.

Mais uma vez, quem estuda a distância também tem mais chances de desenvolver a flexibilidade no dia a dia, já que imprevistos acontecem, mas o curso não pode parar. Em meio ao trabalho, aos afazeres domésticos e à vida pessoal, esse aluno precisa encontrar uma forma de driblar obstáculos e voltar a estudar com o tempo que têm disponível, por isso, acaba se tornando alguém mais flexível.

6. Foco em resultados

Muito mais do que simplesmente executar suas tarefas de acordo com aquilo que é esperado, as empresas querem que seus colaboradores apresentem resultados. Ser capaz de focar neles é uma das competências profissionais mais valorizadas no âmbito organizacional. Treine essa habilidade não se preocupando demais em como realizar pequenas tarefas, mas, sim, pensando em aonde elas poderão te levar.

Em outras palavras, deixe de se apegar às práticas que, na verdade, não rendem bons resultados e tenha a mente aberta para fazer alterações em sua atuação, de modo a atingir as metas desejadas.

Outras das principais competências profissionais exigidas atualmente incluem:

  • criatividade;
  • facilidade para trabalhar em equipe;
  • agilidade para tomada de decisões;
  • resiliência;
  • inteligência emocional.

Essas últimas habilidades são as chamadas soft skills — termo do inglês bastante utilizado pelos profissionais de RH para definir competências comportamentais e emocionais. Ou seja, além de todas as características que citamos no post, é importante focar também em trabalhar o modo em que você encara as situações cotidianas (tendo controle de suas emoções e reações) e a facilidade que tem para lidar com adversidades e relações interpessoais. Recrutadores e gestores estão de olho em colaboradores com esses traços.

Agora que você já sabe quais competências profissionais para currículo são prioridade para os empregadores, que tal usar as dicas do conteúdo a seu favor e buscar desenvolvê-las? Vale ressaltar que os cursos de graduação EAD já preparam os alunos para trabalhar essas habilidades de forma natural, afinal, estudar online, além de responsabilidade, exige muito do que falamos ao longo do artigo. Ou seja, além do diploma, quem se forma a distância já tem grandes diferenciais competitivos que garantem empregabilidade.

Por falar em diploma, aproveite sua visita no blog e descubra a resposta para uma dúvida de vários: “existe diferença entre diploma EAD e presencial“? Te esperamos por lá!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 4

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content