Faculdade pública: entenda como é a rotina de estudos

estudante

A faculdade pública tem demandas que fazem da rotina de seus estudantes um pouco diferente em relação ao dia a dia dos graduandos das particulares. Nesse sentido, parte do senso comum uma ideia de que elas são melhores, o que é, muitas vezes, uma afirmativa que tenta desqualificar o ensino privado.

A diferença existe, porém, é necessário pontuarmos que é inadequado afirmar que uma é melhor que a outra apenas por achismo. Por isso, é importante levarmos em conta os diferentes pontos de vistas e as possibilidades de cada estudante, não é mesmo?

Para muitas pessoas, a faculdade pública pode não ser a melhor opção, como para aqueles que não podem participar de aulas presenciais e precisam trabalhar ao mesmo tempo em que se dedicam aos estudos.

Continue a leitura para conhecer como funciona a rotina de estudos nas faculdades públicas!

A complexidade dos testes para entrar

Entre as desvantagens da faculdade pública está a dificuldade de quem trabalha e pretende despender um tempo para se preparar para o vestibular. Isso faz com que os estudantes que acabaram de sair do ensino básico ou que investiram tempo e dinheiro em cursinhos tenham um diferencial competitivo para ficar com a maioria das vagas.

Essas instituições do governo aceitam as notas do Enem dos anos anteriores, contudo, graças ao número de inscritos, a competitividade tende a ser grande. Com isso, as pontuações de corte também são altas, principalmente em cursos mais populares, como Direito.

Ao escolher uma faculdade pública, antes mesmo de começar a graduação, você vai precisar destinar muito tempo de estudo para conseguir uma das vagas disponíveis. Apesar de o Enem ser um critério comum entre as federais e particulares, a concorrência, na primeira, acaba exigindo mais dedicação.

Os períodos de aulas integrais e extensos

Em muitas faculdades públicas, os cursos são ofertados em período integral. As aulas acontecem na parte da manhã e da tarde, podendo estender, em casos específicos, para o período noturno. Em outras palavras, é o aluno quem deve se adaptar aos períodos de estudos.

Por falar nisso, mesmo os estudantes que fazem um curso noturno podem se deparar com aulas começando no final da tarde, impossibilitando quem trabalha em horário comercial de participar. Além do mais, nem sempre as faculdades mais procuradas são ofertadas à noite nas federais.

Diferentemente das instituições públicas, as particulares, considerando uma rotina de estudos apropriada para quem quer continuar atuando no mercado de trabalho, oferecem uma ampla gama de graduação a distância, com aulas mais flexíveis e mais adequadas à realidade dos alunos.

Outra demanda é a rotina de trabalhos e provas. Os seminários, por exemplo, com apresentação individual e em grupos, exigem um preparo anterior que vai depender de encontros com os colegas, professores, além de muitas idas à biblioteca.

A alta competitividade para uma vaga

Como vimos, a competitividade para as vagas nas faculdades públicas é alta. Isso acontece, principalmente, pelo fato de elas serem gratuitas. Porém, isso não quer dizer que o estudante não terá despesas, já que nem sempre o curso escolhido é o mais acessível.

Essas faculdades estão distribuídas, em sua maioria, nas capitais e grandes centros do país. Com isso, o deslocamento para fazer uma graduação presencial no ensino superior público requer que o estudante abra mão de diversas coisas, como o emprego, além da mudança de cidade.

As opções de financiamento, como o FIES, além de outros projetos do governo, como o Prouni, abriram as portas das particulares. O acesso ao ensino superior nessas instituições facilitou a vida de estudantes com menor renda e de pessoas preocupadas em se qualificarem, mas não poderem assegurar a rotina da faculdade pública.

A menor conexão com o mercado de trabalho

Os professores de faculdades federais e estaduais costumam se dedicar exclusivamente à docência e pesquisa, muitas vezes, por exigência do próprio cargo. Nesse sentido, suas experiências costumam ficar mais no campo da teoria, um pouco longe da prática.

Diferentemente, nas instituições particulares os estudantes contam com um grande número de professores atuantes na área de docência. Assim, o networking, por exemplo, é favorecido, pois eles podem indicar seus melhores alunos para os gestores de grandes empresas, além de inseri-los nas suas próprias organizações.

A faculdade pública é famosa por manter o olhar direcionado para a pesquisa científica. Consequentemente, os discentes que buscam uma rápida inclusão no mercado de trabalho passam por dificuldades em relação a falta de prática, pois, geralmente, suas aulas foram mais focadas nas teorias da área.

Já nas faculdades particulares, a preocupação com uma formação direcionada ao mercado de trabalho é tão forte que elas fazem parcerias com grandes empresas e oferecem benefícios exclusivos de empregabilidade. Aqui na Unopar, os alunos têm acesso ao Canal Conecta e saem na frente na procura pelo emprego ou estágio ideal.

A existência de cursos desatualizados

A faculdade federal depende do investimento do governo para qualquer atualização, e isso inclui muitas burocracias que impedem a inovação constante de seus cursos, deixando-os defasados de materiais, por exemplo. Essa questão também é vista na contratação de professores, que pode demorar devido aos extensos processos pelos quais eles passam.

Existem situações em que os estudantes não têm acesso às novas perspectivas da atuação dentro da área cursada. Mais uma vez, em comparação, destacamos a importância dos docentes das faculdades privadas estarem inseridos no mercado, indo além da teoria, apresentando a prática e a realidade do dia a dia da profissão.

Como vimos, uma instituição de ensino superior particular de qualidade, em geral, tem as mesmas ou mais vantagens do que uma faculdade pública! Você pode estudar de maneira flexível sem perder a qualidade do ensino. Isso acontece porque sabemos a importância da educação superior para qualquer profissional.

Aqui na Unopar, pensamos em diferentes modalidades de ensino para flexibilizar a rotina de nossos alunos. As ofertas EAD, por exemplo, podem ser a oportunidade que você estava esperando. Mas os cursos semipresenciais também são uma alternativa viável.

Para saber mais, continue com a gente e entenda o que é e como investir na modalidade semipresencial.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content