Fisioterapia Respiratória: o que é e como atuar na área?

fisioterapia respiratória

A Fisioterapia Respiratória é um ramo da Fisioterapia que ajuda a evitar e a tratar doenças que afetam o sistema respiratório. Essa atividade é aplicada de forma complementar ao tratamento e prevenção de enfermidades como bronquite, faringite, infecção por vírus para influenza, pneumonia, asma, tuberculose, infecção pelo vírus sincicial respiratório etc..

Esse profissional passa exercícios, faz intervenções manuais no paciente e aplica equipamentos: tudo para aumentar a qualidade da respiração, ativando os músculos ventilatórios. Infelizmente, esse tipo de doença vem aumentando por causa da poluição nas grandes cidades.

Porém, para quem está à procura de um futuro profissional estável, essa pode ser uma boa oportunidade para ganhar dinheiro e aliviar o sofrimento das pessoas.

Afinal, dá para trabalhar em clínicas, hospitais e no atendimento domiciliar, com crianças e adultos. Quer saber mais sobre essa carreira e o curso de Fisioterapia? Então, confira nosso post!

O que é Fisioterapia Respiratória?

Antes de saber se essa área combina com você, é preciso entender bem o que é Fisioterapia Respiratória. Na prática, sua metodologia consiste em várias técnicas para ampliar a capacidade do corpo em absorver o oxigênio.

Pacientes que são submetidos a alguns tipos de operações, como no tórax, no abdômen e no coração, precisam passar pelas mãos desse especialista.

Além disso, o fisioterapeuta respiratório mexe com aparelhos, como o flutter e o nebulizador, que contribuem para a remoção da secreção nos pulmões.

Para o paciente, as técnicas desse tipo de Fisioterapia são muito benéficas. Observe algumas vantagens dessa terapia:

  • expansão da substituição gasosa;
  • ampliação da capacidade pulmonar;
  • expulsão de secreções dos pulmões e das vias aéreas;
  • redução do tempo de internação (algo positivo para pacientes e hospitais);
  • suporte e alívio para os males da dificuldade de respiração.

Como trabalhar com Fisioterapia Respiratória?

A formação na área de Fisioterapia Respiratória é dada durante a graduação no curso de Fisioterapia, que dura em média 5 anos (10 semestres). Assim, já na faculdade, o aluno aprende sobre as funções e as disfunções pulmonares.

Na realidade, a Fisioterapia Respiratória é uma disciplina obrigatória para os alunos desse curso. Apesar disso, nada impede o estudante de fazer uma especialização mais completa depois da graduação.

Mais um caminho para seguir nessa carreira é a residência, semelhante às do curso de Medicina. Nesse caso, o interessado vai atuar com equipes multiprofissionais para obter um conhecimento mais prático do dia a dia desse trabalho.

Resumindo: para começar a atuar na Fisioterapia Respiratória, é fundamental cursar Fisioterapia. Mas não é apenas a imposição legal que conta na hora de se matricular em uma faculdade.

Isso porque o ambiente acadêmico é excelente para entrar em contato com todas as ramificações do universo do fisioterapeuta. Assim, ao frequentar as aulas, você terá acesso a noções de praticamente tudo sobre Fisioterapia.

Essa experiência será riquíssima porque a profissão tem um leque enorme de campos de trabalho. Por exemplo: você sabia que existe a Fisioterapia Neurológica também?

Esta última vertente serve para aperfeiçoar a capacidade motora e física de pacientes com limitação de movimento por causa de lesões cerebrais.

Independentemente de qual for a sua escolha, é fundamental se atualizar além do curso de graduação. Assim, lembre-se de que existem muitas vagas em Fisioterapia Respiratória, mas a concorrência é grande –– e a responsabilidade também.

Quais são os tipos de vagas em Fisioterapia Respiratória?

Agora que você já tem uma noção sobre o que é Fisioterapia Respiratória, chega a hora de conhecer as possibilidades de trabalho. Em território brasileiro, desde 2010, é obrigatório manter fisioterapeutas na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) pelo menos 18 horas diárias.

Essa foi uma decisão tomada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e pelo Ministério da Saúde. Isso estimulou bastante a demanda por esse especialista nos hospitais.

Teste Vocacional Rápido

Contudo, em junho de 2020, a Câmara Federal aprovou lei que aumenta para 24 horas o tempo de permanência compulsório de um fisioterapeuta nos leitos de setores com pacientes graves.

Assim, a expectativa é a de que, em breve, os hospitais sejam obrigados a providenciar fisioterapeuta em tempo integral nas UTIs.

Apesar da resposta positiva dos deputados à norma, o projeto de lei ainda tramita no Senado. Com a entrada em vigor dessa nova lei, o mercado de trabalho pode se tornar ainda mais favorável.

Porém, existem oportunidades vantajosas também fora dos hospitais. Por isso, veja a seguir as principais áreas da Fisioterapia Respiratória além da área hospitalar!

Auxílio na pediatria

O profissional de Fisioterapia Respiratória pode atuar ao lado de pediatras, com crianças e até mesmo com bebês. Neste último caso, alguns recém-nascidos têm dificuldades respiratórias por causa de o pulmão ainda estar se desenvolvendo.

Suporte ambulatorial

Você também consegue vagas de Fisioterapia Respiratória em clínicas e consultórios. Nesse tipo de trabalho, o profissional vai amparar o tratamento de enfermidades crônicas, como doenças cardíacas e asma.

Apoio domiciliar

Também é possível trabalhar com Fisioterapia Respiratória no atendimento domiciliar dos pacientes. Dessa forma, pessoas que receberam alta hospitalar, mas ainda estão em recuperação podem precisar dos serviços.

Qual o papel da Fisioterapia Respiratória na Covid-19?

Ao lado do choque séptico, a insuficiência respiratória é a maior causa de mortes por Covid-19. Desse modo, a pandemia do Coronavírus estimulou a área, proporcionando mais vagas em Fisioterapia Respiratória.

O profissional aplica técnicas nos pacientes com ou sem necessidade de usar os aparelhos respiradores. Mesmo depois de serem retirados da respiração artificial, muitos doentes necessitam do fisioterapeuta respiratório para não desenvolverem hipotrofia da musculatura local.

Qual a média salarial para Fisioterapia Respiratória?

O salário de Fisioterapia tem uma média de R$ 2.927,93* para uma jornada de 32 horas por semana. Já o teto de vencimentos alcança R$ 5.020,86*.

Diante disso, trabalhar com Fisioterapia Respiratória é uma chance excelente para ganhar bem de modo estável. Porém, é preciso se identificar com a área, gostar do ambiente hospitalar e clínico e ter muita empatia com os pacientes, que quase sempre estão em condições incômodas e vulneráveis.

Porém, pode bater uma dúvida se essa é realmente a decisão certa. Muitas pessoas se interessam por mais de uma profissão. Nesse sentido, é muito comum ficar na dúvida entre Educação Física ou Fisioterapia.

Por isso, informe-se muito bem sobre cada curso e as opções de aprendizado, que podem ser bem mais amplas do que você imagina. Por exemplo: você sabia que existe a Fisioterapia Esportiva?

Nesta última especialização, o especialista ampara a recuperação de atletas amadores e profissionais. Mas não é só isso: também tem campo para a Fisioterapia Esportiva preventiva, principalmente entre os jogadores que competem em disputas oficiais.

Tenha sucesso na carreira!

O salário na área é atraente, mas pode ser muito melhor com uma graduação em instituição reconhecida. Esse é o caso da Unopar, onde você encontra uma formação completa. Aqui, oferecemos portal de emprego exclusivo, o Canal Conecta, além da Aula Destaque, apoio personalizado e muitos outros diferenciais.

Sua carreira em Fisioterapia Respiratória será ainda melhor com essa formação. Com o diploma em mãos, poderá construir uma vida profissional promissora e cheia de enriquecimento humano. Afinal de contas, nada melhor do que levar mais qualidade de vida para as pessoas, não é mesmo?

Que tal iniciar sua jornada em direção a um futuro melhor neste exato minuto? É muito simples: inscreva-se no vestibular aqui da Unopar!

*Sujeito a alterações

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.9 / 5. Número de votos: 7

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Mudança de carreira: o guia prático para dar os primeiros passos

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Skip to content