7 livros que todos deveriam ler uma vez

livros que todos deveriam ler

A leitura é uma atividade prazerosa e poderosa. Ela estimula a criatividade, enriquece o vocabulário, amplia a visão de mundo e até ajuda a reduzir o estresse, sabia? Por isso, a Unopar resolveu recomendar alguns livros que todos deveriam ler pelo menos uma vez na vida.

Sejam livros sobre carreira, autoconhecimento ou literatura nua e crua, alguns minutos diários na companhia de boas obras vão revolucionar a maneira como você pensa sobre tudo. Que tal experimentar essa experiência única com os títulos indicados a seguir?

Desonra — J.M. Coetzee

Nesse livro, você conhece Lurie, um professor de literatura que assedia sua aluna. Ele é expulso da universidade em que leciona, pois é acusado de abuso. Então, vai passar uns tempos com sua filha, na zona rural. É quando a fazenda é atacada por três homens. Essa é considerada a melhor obra do autor sul-africano Coetzee, que recebeu o prêmio Nobel de Literatura em 2003.

Uma Rua de Roma — Patrick Modiano

O percurso de um homem com amnésia domina a narrativa da obra de Patrick Modiano. Em busca da sua identidade e de desenvolvimento pessoal, ele vasculha a memória das pessoas à procura de vestígios das suas lembranças perdidas. Será que o personagem consegue se encontrar?

Alta Fidelidade — Nick Hornby

Aqui, temos uma loja de discos. Seu dono é viciado em listas. Isso mesmo, como esta que você está lendo agora! Para descobrir mais sobre a história desse homem, você precisa mergulhar nas páginas da obra de Hornby — uma referência da cultura pop.

Sapiens: uma breve história da humanidade — Yuval Noah Harari

E quando a história da obra é a sua? Sim, o doutor em História da Universidade de Oxford conquistou seu lugar nas listas dos livros mais vendidos com um relato incrível sobre o curso da nossa espécie: a história da humanidade.

Fahrenheit 451 — Ray Bradbury

Um governo totalitário proibiu qualquer tipo de leitura — jornais, revistas, obras clássicas, livros online, artigos… tudo foi confiscado e as pessoas só adquiriam conhecimento por meio dos aparelhos televisores. Assustador? Algo passível de se tornar realidade? Esperamos que não! Mas vale a pena ler e refletir sobre a provocação de Bradbury.

O Conto da Aia — Margaret Atwood

Uma das obras mais famosas de Atwood, esse romance distópico retrata uma sociedade marcada pelo totalitarismo fundamentalista cristão. Um grupo derrubou o governo norte-americano e assumiu o controle, fundando Gilead — um Estado teocrático em que as mulheres não têm mais direitos e são divididas entre esposas, “marthas”, salvadoras e aias. As últimas servem apenas para procriar.

A sangue frio — Truman Capote

O romance-reportagem conta o caminho da investigação de Capote enquanto cobria um assassinato em 1959, na cidade de Holcomb (EUA). Sem nenhuma inovação digital na época, nem mesmo de gravador ou bloco de notas, se muniu Capote para entrevistar os moradores. Com sua memória prodigiosa, ele escreveu esse clássico do jornalismo literário.

Invista nesta ideia!

Além das histórias desses livros que todos deveriam ler serem instigantes, os benefícios da leitura ao cérebro são inegáveis. Portanto, aproveite as indicações da Unopar e usufrua mais das vantagens dessa prática.

Gostou das dicas de livros e quer começar a ler mais? Nosso blog também é uma ótima fonte de conhecimento. Aproveite que já está aqui e confira o que são soft skills e por que elas são importantes na carreira!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.