Residência em Fisioterapia: como funciona na prática?

residência em fisioterapia

Desde a faculdade, vivenciamos diversas etapas de qualificação profissional, e esse processo continua mesmo depois de formados. A residência em Fisioterapia é uma das opções de pós-graduação, que tem características próprias e, por isso, pode gerar dúvidas em quem deseja atuar na área. 

Aliás, a residência traz benefícios interessantes, como networking profissional e experiência. Além disso, é um tipo de qualificação remunerada, em que você trabalha em um dos campos de atuação do curso de Fisioterapia

Se você tem interesse na área, continue a leitura. Ao longo do texto, tiramos as principais dúvidas e trouxemos dicas práticas para continuar os estudos. Vamos lá? 

O que é residência em Fisioterapia?

A residência em Fisioterapia é uma pós-graduação voltada para a prática profissional. Nela, os alunos somam o trabalho em suas futuras áreas de especialização com conteúdo teórico e supervisão de profissionais mais experientes. 

Normalmente, essas especializações dura 2 anos. Ao longo do período, as horas de trabalho são consideradas parte dos requisitos para emitir o certificado. Por isso mesmo, é fácil encontrar programas que ultrapassam as 3.000 horas de formação, ficando próxima da carga horária do curso de Fisioterapia na faculdade. 

O trabalho realizado no período de residência é remunerado. A média salarial de um residente em Fisioterapia, por exemplo, está em R$ 3.035,00*. Não à toa, os programas podem ser uma maneira interessante de ingressar no mercado de trabalho. 

Lembre-se, contudo, de não confundir a residência com o estágio obrigatório, que é realizado durante a graduação. Esse é um requisito para conquistar o seu diploma de Fisioterapia, enquanto as especializações só podem ser realizadas por bacharéis formados. 

Se tiver dúvidas sobre como funciona o curso de graduação, recomendamos a leitura do nosso conteúdo com tudo sobre Fisioterapia

Qual é a importância da residência em Fisioterapia?

A principal diferença das vagas de residência em Fisioterapia para outras pós-graduações é o peso da prática. Quem recebe a oportunidade efetivamente trabalha no campo de atuação escolhido, e as aulas teóricas são um complemento. 

Fazer networking profissional

Um dos benefícios é formar vínculos profissionais, construindo um networking. Assim, ao terminar o programa com sucesso, você estará mais próximo de receber indicações e ter acesso a novas oportunidades. 

Ganhar experiência

As horas de residência tem um duplo peso. Além de contarem para obter o certificado de pós-graduação, podem ser indicadas no currículo como experiência profissional. Logo, é um caminho excelente para conquistar o primeiro emprego na área. 

Desenvolver competências

Ao aliar teoria e prática, você também terá mais segurança ao usar das técnicas e métodos fisioterapêuticos. E isso será um diferencial no seu currículo, especialmente na comparação com pós-graduações mais teóricas.   

É obrigatório fazer residência em Fisioterapia?

A residência é uma qualificação opcional. Sem contar que, além das outras diferenças entre fisioterapeuta e médico, esse tipo de pós-graduação funciona como um diferencial na carreira, em vez de ser o padrão adotado pela maioria dos profissionais. 

Na Fisioterapia, é mais comum buscar oportunidade de trabalho efetivo ou realizar um curso de especialização em formato mais tradicional. Além disso, a residência aborda especialidades que, frequentemente, já fazem parte da grade curricular do curso superior. Veja alguns exemplos: 

  • Fisioterapia do Trabalho; 
  • Fisioterapia Cardiovascular; 
  • Fisioterapia de Terapia Intensiva; 
  • Fisioterapia Clínica;  
  • Fisioterapia em Saúde Coletiva.  

O diferencial é a oportunidade de trabalhar sob a orientação de profissionais mais experientes. E quanto mais bem preparado você sair da faculdade, mais proveito tirará da residência, vendo os conteúdos das aulas na prática. 

Teste Vocacional Rápido

O que um residente em Fisioterapia faz?

O ponto principal da residência em Fisioterapia é realizar funções e atividades profissionais. Normalmente, o residente começa pelas tarefas de menor complexidade, avançando gradualmente até a atuação completa na especialização escolhida.  

Um programa de residência também pode contar um outras atividades que contribuem para o desenvolvimento do profissional: 

  • aulas teóricas; 
  • tarefas simuladas; 
  • leituras de livros técnicos; 
  • visita a unidades hospitalares; 
  • observação do trabalho de profissionais experientes; 
  • supervisão; 
  • provas e avaliação de desempenho. 

É importante ler o edital do programa de residência que você deseja fazer, verificando como é o projeto do curso. Esse documento, normalmente, é disponibilizado nas páginas das instituições responsáveis pelo programa. 

Como se tornar um residente em Fisioterapia? 

Os programas de residência exigem a aprovação em processo seletivo, como provas, avaliação de currículo e entrevistas. Na maioria dos casos, as oportunidades surgem a partir de parcerias entre instituições de ensino e organizações de saúde.  

Por isso, você pode pesquisar vagas em diferentes organizações: 

  • hospitais públicos e privados; 
  • instituições de ensino superior com cursos na área da saúde; 
  • hospitais universitários. 

Um bom trabalho durante a residência em Fisioterapia pode render a efetivação depois de formado. Até porque, caso surja uma vaga no setor, você já estará adaptado à rotina e terá sido testado nas funções durante um longo período.  

Como acessar boas vagas de residência em Fisioterapia? 

Agora que você já sabe como fazer residência em Fisioterapia, fique atento às boas práticas para passar no processo seletivo. Veja algumas dicas. 

Leia o edital

O edital traz todas as instruções sobre o processo seletivo, bem como o conteúdo que cai nas avaliações. Assim, pesquise as documentações de provas anteriores para se planejar em relação às matérias cobradas. 

Pesquise questões de prova

Você também pode pesquisar questões de concurso público em Fisioterapia. Responder a muitas perguntas facilita a memorização e o reconhecimento de padrões, o que será uma ferramenta útil durante a sua prova. 

Melhore o seu currículo profissional

O conteúdo do currículo de Fisioterapia também é relevante. O ideal é usar um modelo confiável e fazer os ajustes de acordo com as exigências do processo seletivo. Aqui na Unopar, os alunos recebem essas orientações no Canal Conecta, e, ao fazer o curso de Fisioterapia com a gente, você pode usar a ferramenta online do portal de empregabilidade. 

Aliás, um ponto decisivo para passar na residência em Fisioterapia é fazer uma boa faculdade. Afinal, além de ter de passar pelas provas, ter um diploma reconhecido no mercado será um diferencial no currículo. 

Na Unopar, você pode cursar Fisioterapia por meio do vestibular agendado e vestibular online, entre outras opções. A graduação é completa com 5 anos de duração, infraestrutura de ponta e corpo docente altamente qualificado. 

Estude Fisioterapia na Unopar! 

Com uma boa graduação, temos mais empregabilidade e aumentamos as chances de conquistar as melhores oportunidades depois de formado. Logo, somos mais competitivos pelas vagas de residência em Fisioterapia. 

Se você ainda não é graduado e está buscando a faculdade Fisioterapia certa, inscreva-se agora mesmo no vestibular na Unopar

*Sujeito a alterações

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.